Olhares

31 dezembro 2007

Há momentos....



Em que só me apetece dizer: Puta de vida a minha!


Parece que quando uma gaja está mais em baixo é que tudo aparece para lhe dar cabo da cabeça!


Já não bastava a merda do Natal e da depressão do fim do ano... a porra do trabalho a chatear e a vidinha pessoal também... ainda vem um cabrão (ou uma cabrona, puta que pariu, sei lá eu!) para ver se dá cabo do resto e me fode mais a cabeça!


Sabem que mais? Puta que os pariu a todos!


Se acham que me deixam a chorar, digo-vos já: É que só me apetece dizer asneiras e pregar estalos a toda a gente!


Tenho eu lá alguma coisa a ver com gentinha com cabecinha de caca (para não dizer de merda mesmo!)... estou aqui bem quieta no meu canto, a curtir a puta da depressão de fim do ano e ainda me querem lixar a cabeça!


Oh puta de vida a minha! Querem lá ver que tenho um F de fodam-me, na testa e nunca dei por isso!
posted by Teardrops at 00:37 6 comments

29 dezembro 2007

Hoje sinto-me triste...



Só...

Vazia...

Infeliz...


Sinto um enorme vazio dentro de mim...

como se me faltasse algo...

como se tivesse perdido uma parte de mim...

como se não tivesse nada dentro do peito, senão uma enorme e pesada pedra... fria.


Precisava de tirar umas férias de mim...

Quem sabe, voltaria melhor...
posted by Teardrops at 15:09 3 comments

11 dezembro 2007

Errar e aprender...



Errar é humano!
É uma máxima que uso com frequência, todavia detesto errar… oh incongruência!
Desde cedo percebi que os erros servem para aprender, aliás penso que toda a gente deverá ter percebido isso, porque, mesmo não o tendo percebido, é assim que é feita a aprendizagem… de tentativas e erros. Assim aprendemos a andar, a falar, a comer, a comportar-nos em sociedade, a viver na nossa civilização e no nosso meio ambiente.

Alturas há em que os erros se revestem de uma maior gravidade ou impacto, em nós e nos outros, e é nessas alturas que temos de ter a capacidade de aprender mais rápido e ter flexibilidade para corrigir os nossos comportamentos, posturas ou métodos.

Mas nem sempre aprendemos, ou apreendemos, tudo de imediato… reconhecemos o erro, até alteramos o nosso comportamento e vamos “esculpindo” a imagem que temos dos outros, e as atitudes que são ou não aceitáveis… mas sempre com base no nosso referencial e na nossa visão, o que muitas vezes é insuficiente e inadequado, porque está carregado de subjectividade.

Tal como as crianças na sua aprendizagem, vamos testando, muitas vezes inconscientemente, os limites e as zonas de conforto de quem nos é próximo, ou se aproxima de nós por algum motivo. Mas como crianças, vamos cometendo erros e continuando a recolher ensinamentos… alguns mais úteis, outros mais difíceis… mas aprendendo sempre.

Problemático, no meio disto tudo, é que enquanto crianças a punição ou o estímulo negativo são aceites de forma natural (ou às vezes nem tanto), mas quando já se tem idade para ser pai ou mãe, já não estamos preparados para eles. Por isso a nossa mente se enrola e se baralha toda…

Se calhar o ideal seria que cada um de nós viesse com um manual de instruções… tipo máquina de lavar… para que cada pessoa que se cruza connosco pudesse ficar logo com as regras de base todas… mas depois, se calhar, também era muito enfadonho… hihihi

Por tudo isto, vivemos no eterno círculo do errar e aprender com os nossos erros, “aprender até morrer” diz o povo e com razão… assim tenhamos nós coragem e força para continuar… aprendendo!
posted by Teardrops at 13:14 1 comments

02 dezembro 2007

Impulsos... e travões...



Durante anos vivi controlada pelos meus próprios travões interiores... condicionei atitudes e respostas, refreei os impulsos e os sentimentos...


Há cerca de um ano o meu espírito rebelde soltou-se... algo se havia quebrado por dentro e não me apetecia mais refrear-me...


Durante meses senti que reagia aos impulsos de forma muito mais solta... que era muito mais eu... muito mais verdadeira comigo mesma...


Ao fechar de um ciclo anual, sinto que os meus travões se estão a armar... que cerram fileiras na minha mente... que me inibem de reagir e fazer o que realmente me apetecia...


Porque há momentos em que me apetecia dar dois berros e os calo na garganta...

porque há momentos em que me apetecia fechar os olhos e dormir, e os abro e vou à luta...

porque há momentos em que me apetecia esquecer todas as convenções e simplesmente amar quem me apetece amar, e aperto no peito o que sinto...

porque há momentos em que me apetecia abanar o mundo, e fico quieta na minha cadeira olhando para dentro...

porque hoje me apetecia estar nos braços de alguém...

e estou aqui...


Enfim...

impulsos e travões...

eterna conflituosidade interna!

posted by Teardrops at 12:34 4 comments